Nota do SEPE aos Profissionais da Educação em greve em Duque de Caxias


Diretores convocam profissionais para reunião.

Escola Muncipal  Maria Araujo

Escola Muncipal Maria Araujo quando chove

Após um semana de greve no município de Duque de Caxias, a SME convocou os diretores das unidades escolares para uma reunião. Surpreendentemente, o prefeito que estava sumido “sem ver nada, ouvir nada e falar nada” apareceu. Segundo informações chegadas ao sindicato, os diretores foram orientados a convocar uma reunião geral com os profissionais das escolas para a segunda feira às dez horas. Que coincidência! A reunião será no mesmo horário do ato aprovado em assembléia a ser realizado na porta da prefeitura da cidade, um momento importante para pressionar o governo a receber o sindicato e reabrir as negociações. Neste sentido, o Sepe vem a público propor alguns questionamentos.

VAMOS PENSAR?

1. Será que nossa mobilização histórica, de mais de 95 % de adesão nesta greve, está assustando o governo?

2. Será que a cobertura da imprensa local a todas as manifestações do movimento está deixando o prefeito em “maus lençóis”?

3. Hoje, os principais jornais comerciais e os tele jornais deram ampla cobertura à nossa greve, será que o governo está preocupado com as conseqüências de não cumprir com sua palavra nem, tampouco, com a lei da data base?

4. Por fim, será que a prefeitura está preocupada com a divulgação verdadeira do caos em que se encontram as escolas municipais em sua infra estrutura e com falta de materiais?

Neste sentido, queremos reafirmar que o espaço legítimo de decisões sobre a categoria é a assembléia e que o interlocutor desta categoria é o sindicato e não as diretoras “indicadas por confiança” pelos governos. Portanto, segunda feira estaremos todos juntos no ato em frente a prefeitura em Jardim Primavera e não em reunião convocada por diretora representante do governo e que não tem poder de decisão. Se o governo quer negociar, estaremos à disposição na porta da Prefeitura.

Por fim, a secretaria de educação soltou uma nota pretendendo constranger a categoria e desmerecer o movimento de greve, divulgando o salário dos profissionais da Educação, que é fruto da luta e das conquistas da categoria. O Sepe desafia o prefeito, a secretária de Educação, os demais secretários e os diretores de escola a divulgarem também suas altas gratificações. Se alguém deve se constranger não é o profissional da educação, que investiu anos na sua formação, passou num concurso público e dá seu sangue diariamente em função de nossas crianças.

SEGUNDA – 23/05 – Ato Público em frente a Prefeitura de Duque de Caxias (Jd. Primavera);
TERÇA – 24/05 – ASSEMBLÉIA GERAL NO CLUBE DOS QUINHENTOS ÀS 14 HORAS;

http://sepecaxias.org.br


 

Siga CaxiasDigital no Twitter

Related Posts with Thumbnails

29 Comentários em “Nota do SEPE aos Profissionais da Educação em greve em Duque de Caxias”

  • Michel Souza escrito em 20 maio, 2011, 21:02

    Frente a tudo que vem acontecendo em Caxias, os desmandos do governo, a atuação firme dos professores e a não-ação de alguns destes, escrevi um texto com minha opinião pessoal sobre a atual conjuntura de greve. Se for possível publicar, agradeço!

    Aos Professores da E. M. Rotary e demais profissionais da rede municipal de Duque de Caxias

    Estamos num momento crítico de nosso movimento pela melhoria da educação no município de Duque de Caxias. É isso mesmo: além da questão salarial, que o governo tem usado como subterfúgio (e único argumento) para minar o movimento, a briga real é pela melhoria da educação como um todo. Obviamente que queremos melhorar nosso salário: isso não é vergonha, é um direito, está em lei e é obrigação do poder executivo municipal cumprir a lei, exatamente o que ele vem se negando a fazer, afirmando que nosso salário “é o melhor do Estado” e que não haveria, então, motivo pra greve ter começado ou sequer continuar.

    Bem, para começar, se o nosso salário, no contexto fluminense, é hoje um dos melhores, isso não se deve a qualquer caridade de algum governo socialmente responsável que já tenha passado pelo comando do município de Duque de Caxias. O governo usa isso contra nosso movimento. Bem ao contrário, o salário do professor municipal de Duque de Caxias hoje é simplesmente o fruto da luta, do engajamento político e da consciência de classe ímpar de uma das diversas redes de educadores fluminenses. Antes de ter vergonha da divulgação e uso do valor do nosso salário, devemos ter orgulho, pois é resultado de grande esforço de enfrentamento do autoritarismo dos políticos e governantes desse feudo chamado Duque de Caxias.

    É vergonhoso, ou deveria ser, para o governo da 6ª cidade mais rica do país, segunda maior arrecadação estadual, a situação das escolas da cidade hoje, em sua maioria com sérios problemas de infraestrutura e condições para um atendimento humano para as crianças. Isso só mostra que o governo privilegia os gastos com obras eleitoreiras, com o “cala boca” vultoso dos cargos comissionados e do secretariado, as prováveis maracutaias, desvios de verbas e superfaturamento que visam apenas à apropriação do bem público, no mais velho e conhecido estilo romano, porém, muito mais descarado e acentuado.

    Acho ainda mais vergonhoso para aqueles que, sendo da rede municipal, concursados, regentes, deslocados de função ou readaptados, seguirem a cartilha de mando de um governo desse tipo. Isso fere a ética no seu sentido mais amplo. Não falo da ética profissional, mas a ética mais profunda do que queremos para nós e o nosso alunado:

    1. Que continuem tendo aula em salas que não têm quadro ou, tendo-o, estão em péssimas condições?

    2. Que continuem utilizando salas de aula que no verão chegam ou ultrapassam os 40°, sem ventiladores pelo menos?

    3. Que continuem a ser usurpados por governos que preferem relegar a escola ao sucateamento, enquanto praças e ruas são construídas e reconstruídas várias vezes, num show de obras angariadoras de votos?

    4. Que vejam em nós um exemplo de conformismo e condescendência frente aos desmandos do poder vigente?

    5. Que não aprendam a exercer sua cidadania e aceitem disciplinadamente todas as regras impostas, sem qualquer contestação?

    6. Que aprendam que não adianta lutar contra as injustiças, pois podem perder o pagamento de alguns dias de trabalho, quando o lucro a médio e longo prazo (tanto econômico quanto político e social) de sua luta pode ser muito maior e mais importante?

    7. Que continuem tendo apenas um quadro negro e giz como instrumento de ensino, quando, na cidade em que vivem, seria facilmente viável um instrumental de primeiro mundo em cada sala de aula de cada escola?

    Para aqueles que, entre outras infinitas proposições possíveis, concordam com as mesmas e enfraquecem o movimento de toda uma categoria profissional, só podemos respeitar seu direito de opinião, mas repudiar seu tão alto grau de alienação, ou acovardamento, ou falta de consciência política. Além do que, espero não ouvir de suas bocas nenhum tipo de reclamação, de qualquer natureza, sobre as condições de trabalho na rede educacional deste município. Será que a tão falada “falta de vontade política” só existe por parte do governo ou, numa conjuntura como a atual duquecaxiense, percebemos que ela começa da própria base social? Parte, mesmo, daqueles que deveriam ter a responsabilidade de ensiná-la e, mais importante ainda, demonstrá-la?

    Peço aos colegas a reflexão, pois já é conhecido que alguns não aderiram à greve, que outros já pensam em retomar as atividades na próxima semana e que diversos ainda estão relutantes sobre que posição tomar. Para os primeiros, minha opinião pessoal é que este seria o momento de aderir e engrossar os mais de 95% de paralisação já alcançados até o presente, para ao menos não sair posteriormente beneficiado, em sua omissão, pelo movimento de outros colegas conscientes, ativos e aguerridos. Para os segundos, rompendo com o movimento agora, não poderão reclamar daqui a alguns anos se o seu salário tiver o mesmo poder de compra do atual pago pela rede estadual fluminense e se as escolas em que estiver trabalhando lhes parecerem situadas em algum remoto país muito menos desenvolvido que o nosso. Restam os que estão hesitantes.

    Para estes últimos, fraquejar agora seria se juntar aos segundos e resumir-se à condição bem conhecida dos servos medievais frente ao seu Senhor todo poderoso. Mas, ao não fraquejar, igualar-se àqueles então CIDADÃOS que, na França, em 1789, deram o maior exemplo visto até hoje na história de resistência à ingerência, à desumanidade, ao autoritarismo e à desigualdade daquela velha ordem social tão distante atualmente na história, mas tão presente e notável hoje entre a elite política de Duque de Caxias, do Rio de Janeiro e do Brasil.

    Duque de Caxias, 20 de maio de 2011.

    Prof. Michel Figueiredo de Souza
    Prof. I – Geografia
    E. M. Rotary
    Município de Duque de Caxias

  • Magno Alves escrito em 20 maio, 2011, 23:02

    Engraçado que na époda do Wshingotn que detruiu e faliu nossa cidade o Sepe não foi tão incisivo na greve agora não adiantar chorar não se arruma a casa da noite pro dia

  • Richard escrito em 20 maio, 2011, 23:11

    REPÚDIO A GREVE DOS PROFESSORES DE DUQUE DE CAXIAS.
    *Eles estão noticiando em carro de som por Caxias que fizeram reunião com os pais e alunos, mas é mentira. Sou pai de aluno e nenhum momento fui convidado. A escola fechou as portas e nossos filhos já estão com o ano letivo prejudicado, pois eles não repõem e nem vão repor essas horas aulas.
    Essa greve é injusta, pois os professores de Duque de Caxias ganham mais de três mil reais mensais. “Trabalham” 5 dias por semana com carga horária de 4 horas por dia, tem 45 de dias de férias e aproveitam todos os feriados. Em contrapartida os professores do RN ganham pouco menos 930, os de São Paulo 780, e os prof. do Estado do RJ ganham em início de carreira uns 700, reais. Portanto deixo aqui meu repúdio e espero que o prefeito Zito desconte os dias parados por contas do desfalque no calendário escolar.

  • Alessandra escrito em 20 maio, 2011, 23:54

    Respeito o “repudio” do pai q se sente injustiçado, embora não concorde… mas me sinto no direito de questionar…
    Sr. Richard, da mesma forma q o senhor encontrou meios e disponibilidade de tempo para pesquisar sobre os salários dos professores, carga horária e afins, não só em Caxias, mas em outros estados, aconselho ao senhor a pesquisar TODOS os motivos que levaram os profissionais da Educação à greve. Lutamos por melhores condições para aprendizagem dos alunos, assim como seu filho… Se o senhor se preocupa tanto com a Educação, o congratulo por isso, mas deveria preocupar-se também da maneira e as condições em que ela vem acontecendo, se o senhor acha saudável ao seu filho estudar em uma escola mofada, com goteiras, merenda precária, falta de material, água e tantos outros recursos, então o senhor não se preocupa nem com a Educação e nem com a saúde de seu filho… e mais, o senhor como trabalhador se contentaria com q ganha, sabendo q está sendo ROUBADO pelo poder público???? Sabendo q seu salário está sendo desviado para engrossar contas de políticos e cargos comissinados???? E quanto a Reunião de pais, se não houve em sua escola, o senhor pode denunciar isto ao SEPE, afinal, tanto nossas portas, quanto assembleias realizadas estão também abertas a responsáveis e alunos… att, professora Alessandra

  • Gisele escrito em 21 maio, 2011, 1:13

    Sr Richard, Boa noite!
    De onde o senhor tirou que os professores de Duque de Caxias ganham mais de 3000 reais por mês?
    Com certeze é um professor com mais de 20 anos de carreira, com triênios, que está lá em cima no plano de carreria… Coisa justa, o senhor não acha? Nossa função exige paciencia, dedicação, estudo. Por que um vereador que rala menos do que eu ganha muito muito muito mais do que eu? Nem auxílio transporte eu tenho… E ele tem mais de 1000 reias de auxilio gasolina… Irônico pra não dizer vergonhoso!
    Acho que o senhor como pai de aluno deveria lutar pela educação do seu filho, que não se faz só com professor em sala: um ambiente quente, prejudica; falta de material, prejudica (garanto que as provas que seu filho faz, são os professores que pagam a xerox, pq as escolas não bancam… é muito caro, rsrsrsrs); merenda ruim, prejudica (muitas criancas contam com aquela refeição todo dia). Bem, o senhor com certeza tem conhecimento de tudo o que falei, afinal, acompanha de perto a educação do seu filho, não é mesmo?
    Espero voltar logo para o trabalho pois não gosto de greve mas o mínimo que eu quero é a reposição da inflação. E nem isso, Sr Richard, o prefeito quer dar. Logo ele que gasta 3 milhoes de reais pra fazer uma universidade na cidade que nem creche tem para todas as crianças…
    Enfim, observe melhor essa cidade, a escola de que a prefeitura dá pro seu filho e depois volte pra gente dialogar
    Um abraço afetuoso, Gisele

  • Michel Souza escrito em 21 maio, 2011, 1:22

    Em nenhum momento os professores se colocaram contra o desconto de ponto, desde que justificado por uma negociação democrática sobre a pauta com a classe dos professores, o que não ocorreu em qualquer momento.
    Para o Sr. Richard, do depoimento acima, umas perguntas: com que frequência costuma ir à escola do seu filho sem ser convocado? A Escola dele tem boa infraestrutura? Os professores têm material didático e de apoio para trabalhar? Tem uma quadra para os alunos praticarem os esportes requeridos nas aulas de educação física? Tem uma bibliteca mínima para complementar os estudos do seu filho? A merenda é balanceada e nunca falta nada durante a semana? A escola tem água sempre ou falta água às vezes? Todas as turmas tem professores concursados com matrícula ativa ou alguma tem professores em horas extras (o que significa que não há professores suficientes no município)?
    Queremos, sim, que o Sr. Prefeito desconte cada um dos dias parados, mas que ao voltarmos para a escola para contribuir na educação de seu filho, tenhamos plenas condições de fazê-lo da forma mais humana, completa e recompensadora possível. Queremos que seu filho saia da escola como um cidadão pleno, que saiba analisar a realidade para além das aparências e do discurso oficial de governos que usurpam a verba pública e se apropriam do bem público a cada minuto, conseguindo, ainda, converter o pensamento da massa da população em aceno positivo livre de raciocínio, ao invés de enfrentar ao menos um franzir de testa de desconfiaça, por conhecer a realidade história das elites políticas brasileiras e, em especial, a desse pequeno feudo medieval chamado Duque de Caxias.
    E se nós trabalhamos 16h semanais, temos um salário razoável (dentro da realidade dos demais trabalhadores do Rio de Janeiro), além de uma série de outros direitos adquiridos, isso deveria ser percebido como um exemplo de luta de uma classe de trabalhadores pelo direito à uma vida digna, a um salário que vá além da simples subsistência acrítica, mas que permita viver em detrimento de apenas sobreviver.
    Como seria bom e positivo se todos os trabalhadores desse país lutassem por seus direitos, se unissem e buscassem a melhoria de suas condições de vida, juntamente com melhorias das condições de vida em geral, como os professores de Duque de Caxias. Seria outra cidade. Outro estado. Outro país. Pense nisso.

  • Angelo Matos escrito em 21 maio, 2011, 9:52

    Não merecem o que ganham.

    Um secretário de governo ganha 18 mil na nossa cidade ao menos eles possuem nivel superuior. E os vereadores ?

  • Angelo Matos escrito em 21 maio, 2011, 10:08

    Na minha escola também vai haver a tal reunião de manhã, mesmo assim iremos ao ato público, sabemos que a estratégia dele é esvaziar o ato e enfraquecer a greve.
    Não reconhecemos autoridade de diretor( indicado) em época de greve

  • robson escrito em 21 maio, 2011, 12:24

    Zito nos chamou de baderneiros…

    Aeeeeeeeeeeeee…prefeito desinformadado e sem tato…perdeu a chance de trazer a categoria para você.Está falhando há muito tempo.Deixou de ser sagaz e pelo menos tentar nos enrolar.Nem isso você tentou.Óleo de peroba no seu aniversário.
    Corta o ponto da rede toda…não cumpre os 200 dias…ministério público em cima de vocês…quem sabe o mec?…Vai cortar o ponto da rede toda? Deve ser extratégia de aumentar o IDEB e conseguir visibilidade com governo federal….rs…Por falar em ponto,o senhor tem um? Poderia cortar o seu também, pois nunca está onde deveria…Um grande abraço…

  • sousa escrito em 21 maio, 2011, 13:15

    Professores ganhando R$ 3.000/mês? kkkkkkkk. Devem ser os 5% que não aderiram à greve!!!
    Pobre Sr. Richard. Que comentário infeliz…

  • Angelo Matos escrito em 21 maio, 2011, 17:35

    Não estou na educação apenas pelo salário ou medo do desemprego…sem demagogia, eu acredito realmente em educação.Até porque tenho consciência que poderia ser bem sucedida em algumas outras profissões.Mas escolhi a educação!!!

  • Carla escrito em 21 maio, 2011, 18:51

    Chega de “dar jeitinho”, de suportar as péssimas condições de trabalho no município de Duque de Caxias. Aos que criticam o movimento grevista, por que não vão visitar algumas escolas do município, saber como os professores se viram pra conseguir dar aulas. Com certeza estão em gabinetes silenciosos e com ar condicionado e não suportando salas de aulas alagadas ou no verão com calor de mais de 40 graus, porque o telhado é de amianto. São condições de trabalho desumanas nessa rede. E o tema de Secretaria de Educação é “Direitos Humanos na Educação que Transforma” Que direitos humanos são esses. Chega de comprar material, tirar xerox do bolso e dar jeitinho. É por isso que o governo não quer falar, ver ou ouvir a educação!

  • João Henrique escrito em 21 maio, 2011, 22:04

    O triste é ler um pai de aluno (sr. Richard) de uma rede tão precarizada quanto a de Duque de Caxias (e não é apenas a Educação que está ruim), fazer comparações com outros salários mais indignos que os nossos.  Será que ele espera que cheguemos ao fundo do poço para só depois reclamarmos.  Acorda trabalhador-cidadão!!!

  • Hosana escrito em 21 maio, 2011, 23:29

    Será que o Sr. Richard é mesmo pai de aluno?
    Pelo menos na escola onde trabalho a grande maioria dos pais apoiaram a greve porque os mesmos acompanham a vida academica dos seus filhos e percebem a falta de tudo.

  • Eduardo Porto escrito em 22 maio, 2011, 3:49

    Sr. Richard, mais de 3000 reais mensais???? ONDE? QUANDO? Sr. Richar, o senhor está muito mal informado! Pegue o contra-cheque de qualquer um de nós e perceberá que nem o que seria o correto (5 salários mínimosfederais) estamos ganhando! A maioria dos professores se vêem obrigados a dobrar pra complemetar o orçamento.

  • Patricia escrito em 22 maio, 2011, 10:23

    Gostaria de saber qual é o nome da escola do seu filho, isso é se o Senhor for verdadeiramente pai de alguém dessa rede sucateada.

    Pois sou MÃE de uma aluna da Escola Municipal Professora Carmen Lúcia Resende Alvim da Silva. A escola da minha filha não tem biblioteca, não tem sala de informática, não tem quadra de esportes, não tem pátio coberto, ao menos quinzenalmente falta água, tem rodízio de turma nas salas pois tem salas com um enorme (insuportável) cheiro de mofo, salas com rachaduras imensas, sem ventilação adequada (no verão as crianças ficam molhadas de suor), um único banheiro para alunos nos três turnos, pois o outro banheiro serve de depósito, não tem sequer sala de professores, o terceiro turno é composto majoritariamente por professores que dobram a carga horária por falta de professores concursados, em síntese nem prédio próprio tem (é alugado, e corre a boca pequena que deve meseS de aluguel), nem mesmo o programa mais escola tem, pois não tem espaço físico, fora as questões estruturais, a escola não recebeu material didático e UNIFORME e olha que já estamos no 2° BIMESTRE. Eu poderia enúmerar dezenas de outras questões que me fazem apoiar esta greve se fosse uma situação apenas desta escola, mas é uma realidade de grande parte das escolas do munícipio. Por estas e outras razões EU APOIO A GREVE! E convido a quem não acredita que ela seja legítima a visitar a esta e outras escolas antes de colocar em lugar público comentários tão sem fundamentos.
    Atenciosamente uma mãe verdadeiramente compromissada com a Educação de sua filha!

  • Patrícia escrito em 22 maio, 2011, 12:35

    Aos professores de Duque de Caxias:
    As reivindicações são mais do que justas. Realmente trabalhar nestas condições não dá. Ver nossos alunos estudando em condições tão precárias e até insalubres já é demais. Já presenciei lâmpadas incandescentes caírem no meio da sala de aula, rebocos do teto desabar, árvores caírem sobre o pátio, amassando inclusive o carro de uma professora. E se fosse numa hora em que as crianças estivessem ali? Suspenderem a merenda depois de semanas de água comprovadamente contaminada por coliformes fecais (alunos e professores consumindo esta água todos os dias). Instalações elétricas à base de gambiarras. Tudo isto sem contar os inúmeros acidentes que ocorrem dentro das escolas por conta da precariedade dos prédios que não tem a menor condição de abrigar crianças e que não são divulgados. CIPA? Corpo de Bombeiro? Não existe fiscalização nestas escolas? Vai abrir uma escola particular! Eu só espero que os professores, que o SEPE, não esqueça todas estas reivindicações recebendo o reajuste, que, aliás, é justo. Não esqueçam as outras reivindicações. Não esqueçam estas condições insalubres em que nossas crianças estudam. Não esqueçam, principalmente, do BRAÇO FORTE de nossas Escolas, os funcionários de apoio, que convivem diretamente com toda esta precariedade. Se está difícil para os professores, para eles está à beira de condições de escravidão. Trabalham sem a menor condição, em números insuficientes, tendo que se desdobrarem, sem material, sem equipamentos de segurança. Recebem menos que salário mínimo (depois de tantos descontos indevidos) e com atrasos absurdos. Atrasos de salário, de cestas básicas (bem básica aliás), com o fantasma da demissão em massa a qualquer tempo por falta de bom senso de algum político .

  • ichele escrito em 22 maio, 2011, 17:08

    Os momentos de greve são os únicos em que eu lamento trabalhar em uma creche e
    gostaria de fazer parte de uma escola! Infelizmente, lamento muito que a realidade da creche obrigue que os funcionários terceirizados que passam por constantes injustiças e constrangimentos mantenham a creche aberta e funcionando normalmente e ainda com o prejuízo de jogar nas mãos das estimuladoras a responsabilidade pelas crianças por tantas
    horas.
    A extensão dessa greve não estava prevista. Eu, que só trabalho no município há 5 anos, passo pela primeira vez por uma experiência de greve de tantos dias. Claro que os mais antigos já passaram por outras muitos maiores. Mas o que eu quero dizer é que entendam que é com muito pesar que fazemos essa escolha. Os representantes do governo ameaçam diariamente o desconto dos dias não trabalhados e isso é um risco real p nós que podemos perder grande parte do nosso salário desse mês. E a cada dia de greve, esse valor a ser descontado aumenta. Mas o que eles não contam é que os professores
    de Caxias têm um movimento sindical que organiza sua categoria e são um grupo de profissionais que lotam as assembléias e votam a greve sempre por unanimidade. Como cantamos: A GREVE CONTINUA! PREFEITO A CULPA É SUA!
    Então, queria parabenizar a quem não foge à luta e se mantém firme no propósito de melhora da educação, frente a um governo autoritário e inflexível que infelizmente só dá ouvidos aos trabalhadores se sentirem sua imagem ameaçada frente aos eleitores e a mídia!!! Lamento que a própria população eleja governantes do nível do Governo Zito.
    Esse movimento é legítimo, isso é importante de ser lembrado… A greve é direito constitucional do trabalhador e se desencadeia e se desenvolve como um instrumento dos trabalhadores coletivamente organizados para a realização de melhores condições de trabalho para toda a categoria profissional envolvida, mesmo aos que não aderem a
    greve… E como um direito constitucional precisa ser respeitado!!! A força da greve é indiscutível. Vcs sabem porque??? Porque é o poder do coletivo, que faz valer pelo exemplo vivo a sua cidadania! Essa luta alcança sempre pouco progresso frente as melhorias dignas que deveriam ser feitas. É a passo de formiguinha mesmo que temos algumas
    conquistas.
    Importante também dizer que a perda de aulas é sempre um prejuízo para os alunos e para quem acredita na educação, mas é muito hipocrisia fingir que a perda de aulas ou péssima qualidade de aulas não são uma constante para nossos alunos. O que quero dizer é que mesmo sem greve, nosso alunos ficam sem aula por inúmeros motivos de responsabilidade do governo (falta de professor, escolas que enchem, quebram, ficam sem
    luz, sem merenda, sem funcionários terceirizados, ou com funcionários sem pagamento e passagem). E quando tem aula, são em condições péssimas muito diferentes das que tenho na creche onde trabalho que é um paraíso perto de muitas escolas!!!!

    Nada é impossível de mudar

    Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.
    E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
    Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa
    natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de
    arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer
    natural nada deve parecer impossível de mudar.

  • Luciana escrito em 22 maio, 2011, 20:44

    Pois é, Sr. Richard. Deixe aqui o nome da escola de seus filhos que faremos uma reunião lá imediatamente. Não me parece, pela sua fala, que o senhor saiba da realidade das escolas desse município, onde as instalações são péssimas, não há nenhuma estrutura de trabalho, falta material pedagógico, sala de aula, e até agua, e sobra autoritarismo e hipocrisia dos governantes. Uma pena que o senhor não reconheça o valor da nossa luta para o futuro de seus filhos!

  • Angelo Matos escrito em 22 maio, 2011, 22:03

    Redigindo melhor .

    Orientação do SEPE:

    Nós podemos denunciar as condições da escolas no Ministério Público Estadual e nem precisamos nos identificar.Basta ligar para 127 e relatar tudo.

  • PATRICIA MOTA escrito em 23 maio, 2011, 11:17

    Sr. Prefeito, aproxime-se dos professores desta rede.
    Não somos inimigos.
    Servimos a esta população.
    Nos tenha como aliados.
    Uma educação de qualidade rende bons frutos para todos.
    Para nossas crianças a garantia de um futuro menos incerto.
    Para nós professores a garantia de dever cumprido e menos doenças laborais.
    Para o senhor a certeza de dever cumprido e uma carreira politica honrada.

  • fernando ramos escrito em 23 maio, 2011, 15:01

    O GOVERNO MUNICIPAL, PODE E DEVE DAR EXPLICAÇÕES DE COMO SUMIRAM 300 MILHÕES DO GOVERNO. ESSSA EXPLICAÇÃO TEM QUE SER DADA AOS CONTRIBUINTES
    DE DUQUE DE CAXIAS. OS PROFESSORES ESTÃO CORRETOS, NA SUA REIVINDICAÇÃO DOS SEUS DIREITOS TRABALHISTAS. TEM MUITA COISA ERRADA NA EDUCAÇÃO, MAS
    CULPAR OS PROFESSORES É COVARDIA!!!!!!. EU COMO CIDADÃO DESTA CIDADE, E MEMBRO DOS AMIGOS DA CIDADANIA, QUEREMOS
    SABER ONDE FORAM PARAR OS 300 MILHÕES DESSA CIDADE, QUE É A 2° EM ARRRECADAÇÃO DO ESTADO .
    NÃO EXISTEM OBRAS
    NA CIDADE PARA TANTO GASTO!!!!!.
    O QUE ESTÁ ACONTECENDO!!!!! ALGUEM PODE EXPLICAR.!!!!!!!!.

  • wilson escrito em 23 maio, 2011, 18:45

    sou terceirizado da educação e sei o quanto a mesma esta sucateada aqui fica meu apoio aos professores força amigos agora e a hora.

  • Simone escrito em 23 maio, 2011, 20:39

    Sr. Richard, PAI de aluno???
    Devem mesmo considerar que nós, professores, somos idiotas. Se um pai de aluno fizesse comentários acerca da greve, obviamente não seria relacionando salários e benefícios, mas sim as perdas que seu filho sofre durante o estado de greve. Obviamente, alguma pessoa a mando do governo escreveu o post. Mas, honestamente, gostaria de saber quem foi e qual contracheque consultou, pois tbm gostaria muitíssimo de ganhar um salário de R$3000,00. Aliás, eu me daria por satisfeita em receber o meu triênio, que já está atrasado há anos e pelo visto vai acumular outro. Realmente… Este governo crê que somos imbecis, não???

  • alexandre escrito em 23 maio, 2011, 21:42

    As redes sociais mostraram o verdadeiro descaso do governo para com a educação, às imagens falam mais do que belas palavras, a sociedade caxiense esta tomando consciência em tempo real sobre o verdadeiro estado de nossas escolas.     Da mesma forma que o presidente do Egito Mubarak foi derrotado, no terreno das ideias via facebook, nosso prefeito foi derrotado de modo semelhante, tendo ainda como dano colateral o vídeo de Amanda Gurgel no youtube e sua entrevista em rede nacional no ultimo domingo citando a greve da rede municipal de Caxias.

  • Michael escrito em 24 maio, 2011, 9:59

    Sem comentar os outos tantos pontos da pauta de reinvidicação, os quais não necessitam de dinheiro para que sejam negociadas, como eleição para diretores, gostaria de perguntar ao sr. Richard (pai de launo da nossa rede preocupado com a qualidade da escola oferecida ao seu filho!?) o seguinte, é tão feio assim o profissional exigir um REAJUSTE do seu salário de acordo com a inflação do período? Pois com a proposta do sr. ZITO, prefeito das obras importantes (como as pracinhas e chafarizes) é de 5%, mas a inflação do período foi de 6,3%, na verdade teríamos uma redução do salário na ordem de 1,3%… Isso é justo???? E cá entre nós, essa é a inflação oficial, não a que sentimos nos mercados, postos, etc.

  • wilson escrito em 24 maio, 2011, 12:24

    gostaria qual sera a nossa situação quanto a locanty alguém pode me informar, somos da educação, não recebemos cesta básica , vai continuar ou não.

  • Juliana escrito em 24 maio, 2011, 14:17

    Gostaria de deixar aqui a minha indignação em relação ao comentário feito sobre os profissionais que fazem parte da Equipe da SME Caxias. Nem todos são cargos comissionados, e temos até uma diferença salarial, por não recebermos certas gratificações, por não estarmos efetivamente em sala de aula. Nosso trabalho é sério, de conteúdo, objetivando a construção de uma educação de qualidade em nosso município. Somos pessoas competentes , com excelente formação e grande bagagem de conhecimento , que nos colocamos a disposição para desenvolver a proposta de trabalho da SME. Já é tempo do SEPE mudar sua postura , menos agressividade, e mais conteúdo e estratégia em seu discurso e na sua prática. A equipe interna da SME não é marionete de governo nenhum , fazemos parte do corpo docente desta Rede Municipal de Ensino, e exigimos respeito, principalmente do sindicato que nos representa.

  • Marina escrito em 25 maio, 2011, 0:01

    Angelo Matos ligar para o MP não adianta nada . A E. M. Visconde de Itaborai esta num galpão,os pais e professores fizeram denúncia a 5 anos atrás ao Ministério Público e a escola continua no mesmo lugar . O MP manda um funcionário lá todo ano tira foto e nada acontece.