Operação Capa Preta prende dois vereadores de Duque de Caxias


Cerca de 200 agentes realizam na manhã desta terça-feira a operação Capa Preta para prender políticos, policiais e militares suspeitos de integrarem uma milícia em  Duque de Caxias.

O vereador Jonas Gonçalves da Silva, o 'Jonas é nóis', foi detido em sua residência | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

O vereador Jonas Gonçalves da Silva, o 'Jonas é Nós', foi detido em sua residência | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Vinte pessoas, entre elas, dois vereadores de Duque de Caxias,  foram presas, na manhã desta terça-feira, durante a operação Capa Preta, realizada por cerca de 200 policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO/IE) e de várias especializadas, para desarticular uma quadrilha de milicianos que age naquele município. Na ação, os agentes estouraram uma central clandestina de Tv a cabo, no bairro do Pantanal, em Duque de Caxias.

A ação começou nesta madrugada e visa cumprir 34 mandados de prisão e 54 de busca e apreensão, expedidos pela Justiça. De acordo com o delegado Cláudio Ferraz, responsável pela operação, entre os procurados estão 13 policiais militares, cinco ex-PMs, um comissário da Polícia Civil, um fuzileiro naval e um sargento do Exército. A Polícia Civil chegou à quadrilha depois de seis meses de investigação.

Os vereadores Jonas Gonçalves da Silva, o  Jonas é Nós, PM reformado, e Sebastião Ferreira da Silva, conhecido como Chiquinho Grandão, foram localizados em suas residências.

A operação tem o apoio de agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) e da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF).

Fonte: Polícia Civil do Rio de Janeiro

Siga CaxiasDigital no Twitter

Related Posts with Thumbnails